Como aumentar os salários públicos sem greves?


Nos últimos meses os brasileiros sofreram e ainda sofrem com um mal antigo: greve de funcionários públicos por melhores salários. Eu até acho que muitas classes de funcionários públicos deveriam receber bem mais, como os professores universitários e fiscais do Ibama.

Porém, greves e “operações padrão” prejudicam aqueles que os funcionários deveriam tratar bem: o povo que paga seus salários. As greves são injustas porque os contribuintes são obrigados a pagar os impostos. Uma vez que pagamos, é injusto ter de pagar pelo serviço privado quando este for disponível. Além do que, muitas vezes, o serviço é monopólio estatal.  Pior ainda, os mais pobres não tem recursos para pagar duas vezes pelo mesmo serviço.

Os governantes tem resistido a atender todas as reinvindicações dos funcionários sob a alegação de que o orçamento é insuficiente.  A população por sua vez já não aceita mais o aumento de impostos.

Se alguns merecem aumentos, mas as greves são injustas e aumentar impostos é inaceitável, os dirigentes e funcionários públicos deverão inovar para lidar com esta situação.

O único caminho é aumentar  a eficiência da máquina pública. Gostaria de ver os sindicatos de funcionários públicos aplicarem as seguintes abordagens para conseguir aumentar os salários:

  1. Aplicar a gestão de desempenho.Meu irmão que é professor em uma universidade federal disse que o desempenho dos auxiliares administrativos é tão baixo que são necessários dois para fazer o serviço de um. Ninguém nem tenta lidar com a situação dada a famosa estabilidade no emprego. A ineficiência também assusta nos altos escalões. No Brasil se faz piada quando um governante indica um ministro que confessa não entender do assunto que vai gerir. Se os sindicatos demandassem e apoiassem programas de gestão de desempenho que incluíssem a demissão de funcionários e indicados políticos ineficientes, sobraria recursos para aumentar o salário dos funcionários eficientes.
  2. Criar programas de combate a corrupção.A FIESP – Federação da Industria de São Paulo estima que a corrução no Brasil atinge cerca de 50 a 80 bilhões de Reais por ano. Os sindicatos de servidores poderiam ajudar a organizar em cada órgão público comissões contra este enorme desperdício. Estas comissões seriam encarregadas de receber denúncias e encaminhar soluções. Imaginem se os funcionários conseguissem pelo menos reduzir metade da corrupção?

Uma vez que estas medidas fossem aplicadas, seria fácil documentar os efeitos na redução de custos e melhor prestação de serviços. Assim, os sindicatos poderiam conseguir apoio da população para suas demandas de melhores salários e condições de trabalho. Melhor ainda, seria possível reduzir os impostos que no Brasil são um dos mais altos no mudo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: