Como consegui estudar na Yale University?


No último mês duas pessoas me consultaram sobre dicas para conseguir estudar na Yale School of Forestry and Environmental Studies onde fiz o mestrado entre 1995 e 1997. Aproveitei para contar aqui o meu caso que pode ter lições válidas para outros interessados.

A possibilidade de estudar em Yale resultou do meu histórico pessoal e das oportunidades ligadas ao trabalho no Imazon. Esta combinação permitiu que eu conseguisse bolsas de estudo e o interesse da universidade.

Eu tive duas bolsas. A primeira foi da Fundação Ford (FF) administrada pela LASPAU (detalhes a seguir). O apoio incluiu um curso de aperfeiçoamento de inglês (três meses em Pittsburgh), passagens aéreas, seguro saúde, bolsa salário (suficiente para moradia e alimentação) e bolsa para compra de livros.  O segundo apoio foi da própria escola que cobriu as taxas de instrução (twition waiver).

A LASPAU, que é afiliada a universidade Harvard, gerencia vários programas de bolsas de estudo. No caso da bolsa da FF, eles realizaram a seleção e me apresentaram as universidades que poderiam me receber (de uma lista de quatro que eu indiquei- Yale, Duke, Michigan State e Penn State).  A conversa da LASPAU com as universidades é mais ou menos assim: Selecionamos este excelente estudante e temos uma bolsa que cobre todos os custos, menos as taxas de instrução da universidade. Para você tê-lo você precisa dispensar estas taxas.

Os procedimentos de seleção da LASPAU seguiram os padrões das universidades americanas e outros itens, incluindo – análise de currículo, cartas de recomendação, proficiência em inglês (teste TOEFL), teste GRE, questionário de intenções e expectativas e proposta de estudo. No questionário de intenções eles perguntaram o que eu esperava aprender e como pretendia usar o que aprendesse no mestrado.

O que eles levam em conta no meio de tantos indicadores? Eu diria que a principal pergunta que o candidato deve se fazer é:  porque alguém deve investir vários milhares de dólares na minha educação? Eles esperam que você seja capaz de aproveitar ao máximo os recursos que eles oferecem e que você use as ferramentas, contatos e conhecimento para gerar impactos positivos na sua área de atuação.

Por isso, eles buscam por indicadores do seu desempenho e potencial acadêmico e especialmente de engajamento e comprometimento em ser um catalisador positivo. Para tanto, eles dão grande peso as cartas de recomendação e a entrevista. Destaco que eles esperam cartas de pessoas que te conheçam profundamente; isto é, que sejam capazes de comparar seu desempenho com outros estudantes/profissionais e de descrever eventos que indicam seu potencial e desempenho.

No meu caso creio que foram determinantes os seguintes pontos:

i-                    Minha experiência de quatro anos no Imazon em estudos sobre os impactos ambientais da exploração de madeira e uma análise dos custos e benefícios da adoção do manejo florestal para produção de madeira com baixo impacto ambiental. Os temas eram relevantes e o trabalho demonstrava foco em solução do problema.

ii-                   Cartas de recomendação de duas pessoas chaves.  Uma foi do meu orientador no Imazon por quatro anos. Ele era (e ainda é) professor em uma universidade americana e um dos mais renomados ecólogos de florestas tropicais. A segunda foi de outro pesquisador americano cujo doutorado em Yale foi realizado em uma das regiões em que trabalhei. Embora não tivéssemos trabalhado juntos, compartilhamos discussões sobre pesquisa, visitas de campo e alguns eventos.

Dica: Se suas cartas serão de brasileiros, tenha certeza de que eles conhecem bem os critérios e a cultura da avaliação de  cartas de recomendação nas universidades americanas.

iii-                 Entrevista. O representante da LASPAU que me entrevistou em Belém concentrou nas minhas intenções e histórico. Não fiz nem uma preparação especial para a entrevista que foi uma conversa informal e tranqüila. Sei que muitos candidatos se preocupam com as entrevistas e vejo em revistas muitas orientações sobre como se preparar. Entretanto, o mais importante é a sua trajetória e valores genuínos. Não creio que seja possível ensaiar para isso.

Eu considero que os itens acima foram os mais importantes porque minha nota do meu GRE não foi excepcional e a nota de inglês foi 0,7% abaixo que as universidades demandavam. Pelo que entendi, eles avaliam o GRE de estrangeiros com certo desconto, pois é um teste padrão para quem estudou nos EUA.

Além disso, o inglês imperfeito não era um critério de corte, pois a bolsa da LASPAU previa o apoio para o aperfeiçoamento. De fato, foi ótimo ter feito o curso de aperfeiçoamento, pois o meu inglês era de um autodidata (razoável conhecimento de gramática, bom vocabulário baseado em muita leitura, mas fraca conversação e redação). Três meses de um curso muito intensivo na Pittsburgh University me deram fluência oral e escrita.

Depois que a LASPAU aprovou a minha bolsa, eles iniciaram os contatos com Yale (que era a primeira da minha lista) e que já tinha recebido outro brasileiro em condições similares dois anos antes. Ricardo Tarifa, o outro brasileiro, também tinha trabalhado no projeto que originou o Imazon.

Yale respondeu logo me aceitando. Eu imediatamente disse sim e LASPAU encerrou os contatos ou nem iniciou com as outras universidades. Depois um professor de Duke (a minha segunda da lista) também me aceitou, o que seria uma ótima segunda opção.

Em resumo, há muitos detalhes a considerar no caminho para conseguir entrar em uma grande universidade americana. Mas, a meu ver, o mais importante é se perguntar: por que alguém deve investir na sua educação? Você deve demonstrar genuinamente que tem potencial para gerar mudanças positivas na sua área de atuação.

Finalmente, destaco que a experiência no Imazon foi também importante para outras pessoas que conseguiram bolsas de estudo em Yale, University of Florida, Stanford, Penn State University, Michigan State Univesity, Indiana Univesity, Clark University, Cornell e University of California.

Anúncios

20 Responses to Como consegui estudar na Yale University?

  1. Marcos Cabral disse:

    Olá, meu nome é Marcos, tenho 16 anos e este ano estarei iniciando o 2º ano do ensino médio, tenho o sonho de estudar direito em Yale porém não possuo condições financeiras para pagar e no ano anterior não tinha notas tão boas, esse ano pretendo me esforçar duramente nos estudos e em outros cursos que tenho a intenção de fazer. Minhas duvidas são: É possivel pra mim adquirir 100% da bolsa? Onde é necessário se inscrever para fazer a entrevista citado acima? Como são as provas do SAT? Onde posso me inscrever e aonde é realizado a prova? As indicações de meus professores/mentores é preciso que estejam em inglês?
    Bom essas são minhas dúvidas.
    Grato pela atenção.

  2. Vitoria disse:

    Ola Paulo! Tenho 16 anos, e estou no terceiro ano do ensino médio. Sou de Belém, e como moro na zona rural, e as escola daqui são bem ruins, não tive oportunidade de desenvolver atividades importantes no âmbito escolar. Porem, minhas notas são razoáveis ( de 7 a 10, com bom desempenho em matérias como física e matemática). Ainda que tenha tido um bom resultado na área de exatas, meu sonho e fazer medicina. Meu inglês tbm é autodidata, e em um teste online no C I consegui ficar no nível intermediário. Tenho ótima capacidade de aprendizado – aprendo com muita facilidade- e tenho envolvimento com a musica (toco bateria). Pretendo começar a praticar algum esporte ainda esse ano, e sou voluntaria em uma fundação que auxilia crianças com câncer. Nunca ganhei nenhuma medalha em olimpíadas. Teria eu alguma chance de entrar em yale?

  3. Amanda Costa disse:

    Boa tarde Paulo, com bastante pesquisas e vontade em estudar percebi que a Yale University é uma ótima opção, e seu blog ajudou a esclarecer muitas duvidas. Gostaria de poder esclarecer mais questões, assim como esta: durante o ensino médio minhas notas foram regulares, mas fui oradora da sala e fazia parte da comissão da de formatura, além de participar de movimentos católicos direcionados a comunidade. Após essa etapa ingressei numa faculdade, aqui no Brasil mesmo, com notas razoáveis também, logo após começar a pesquisar sobre estudar fora, despertou uma grande vontade, e queria saber se com esse histórico não tão bom é possível, e o que fazer para melhora-lo. Obrigada desde já pela atenção.

    • Paulo Barreto disse:

      Amanda

      bom saber que o texto foi útil para você.

      Ter boas notas é importante para entrar em Yale. Por isso, procure melhorá-las. Além disso, eu diria que é ainda mais importante ter uma boa justificativa do porque vc quer estudar lá. Quais os seus sonhos? Como estudar lá ajudará a realizar seus sonhos?

      Finalmente, considere que além de Yale há outras ótimas universidade fora do Brasil que também ajudarão você a realizar seus sonhos.
      Abs,
      Paulo Barreto

  4. Maria Eduarda disse:

    olá, meu nome é Maria Eduarda tenho 15 anos e já sei todos os requisito que preciso para poder ingressar em uma universidade americana, mas eu não sei por onde posso mandar minha inscrição, será que você poderia me informar ?

  5. Mariana Tomás disse:

    Olá Paulo, gostava de saber com pediu uma bolsa ou ofereceram a você uma bolsa.
    Gostava também de saber, quais os cursos disponíveis na universidade.

    Boa Tarde. **

    • Paulo Barreto disse:

      Mariana,
      Eu consegui duas bolsas. Eu solicitei uma a Laspau que cobria transporte e gastos pessoais. A Laspau solicitou e conseguiu a bolsa da universidade que cobria a mensalidade (tuition) do curso.

      Yale tem uma diversidade enorme de cursos. Para ver a descrição atualizada deles entre no site http://environment.yale.edu/

      Boa sorte,
      Paulo Barreto

  6. juliana thais disse:

    olá Paulo Barreto meu nome é Juliana Thais e meu sonho sempre foi estudar em Yale algumas pessoas m disseram que uma das formas de passar para Yale e ser bom em jogar bola, bom isso eu sei muito bem mas não sei como mandar minha carta de recomendação ou oq eu tenho que colocar nela

    • Paulo Barreto disse:

      Oi Juliana,
      Yale e outras grandes universidade dão peso relativamente pequeno ao desempenho esportivo do que outras universidades que sao famosas pelos esportes.
      Em geral, além de exigirem excelente desempenho acadêmico, eles buscam por pessoas que tem grande potencial de causar impacto positivo. Por isso, eles valorizam pessoas cujas histórias de vida revelem esse potencial – por exemplo, pessoas que fizeram algo extraordinário para ajudar sua comunidade, que buscaram resolver problemas coletivos, etc. Que histórias vc tem para contar?

      abs,
      Paulo Barreto

  7. Tenho 26 anos e n tenho um histórico escolar invejável. Tenho condições de ser aprovado? Digamos q minhas notas tenham sido entre 7 e 8, e no segundo ano do segundo grau tive uma repetência, fiz o segundo ano duas vezes portanto.
    Estou fazendo faculdade, e digamos q eu consiga uma medalha em olimpíada internacional de matemática. Acha q essa medalha limparia meu histórico?

    • Paulo Barreto disse:

      Caro Jaime,

      difícil dizer se uma medalha na olimpíada de matemática compensaria seu histórico escolar ruim. Acho que dependeria da história que vc tem para contar sobre sua evolução (se vc ganhar a medalha em matemática). Por exemplo, se vc tirou notas medianas e foi reprovado porque trabalhava, estudava e cuidava dos seus pais doentes e depois se superou e conseguiu ganhar a medalha seria uma bela história. Qual a sua história?

  8. yasmin disse:

    Tenho 12 anos, também tenho muita vontade de estudar em Yale! Estudo em escola pública municipal, eu vi alguns depoimentos de alunos, que são brasileiros e estudam lá, eles dissem que ou você passa por ‘ser bom de bola’ , ou por estudos . Mais só conta isso mesmo ? Ou se você desenha bem , faz alguma atividade relacionado a artes cénicas etc.. ? É gratuito ? Passa por quantas fases ? Se pagar , consegue porcentagem de bolsa ?

    • Paulo Barreto disse:

      Oi Yasmim

      que bom que vc quer estudar em Yale, pois é uma excelente universidade.

      Os procedimentos para entrar em uma universidade americana são bens diferentes daqueles das universidades brasileiras, pois além de testes de conhecimento eles querem saber mais sobre o aluno por meio de entrevistas e redações (ensaios).

      Além de conhecimento, eles buscam pessoas com perfil de líderes, curiosas e entusiasmadas (por exemplo, que tenha feito algo diferente para resolver um problema da comunidade em que vive). Pergunte-se por que vc quer estudar em Yale. O que vc quer atingir com o conhecimento e a experiência de ter estudado em Yale?

      A universidade é paga, mas eles podem dar bolsa equivalente a 100% dos custos. Eles selecionam as pessoas sem considerar a capacidade delas pagarem e se comprometem a dar bolsas para aqueles que não podem pagar.

      No link abaixo vc terá mais informações sobre todos os passos da seleção.
      http://admissions.yale.edu/international

      Eu estudei em escola privada, mas meus professores eram os mesmos das escolas públicas em uma pequena cidade do interior do Pará (Castanhal). Eu aprendi inglês até o nível intermediário estudando sozinho, pois nunca tive bons professores na escola.

      Vc pode aperfeiçoar seus conhecimentos com diversos materiais gratuitos na internet. Recomendo ver este
      http://www.fundacaolemann.org.br/khanportugues/

      Espero que ajude.
      Paulo Barreto

  9. Carol disse:

    Paulo, encontrei seu blog por acaso, pesquisando sobre a LASPAU. Vc teria dicas sobre como escrever a proposta acadêmica? Acho difícil escrever uma proposta sem saber bem para onde irei.
    Obrigada!!!

    • Paulo Barreto disse:

      Oi Carol,

      Na proposta vc vai ter que indicar a proposta acadêmica e também algumas universidades para as quais vc gostaria de ir. Assim, eu comendo
      focar a proposta em problema relevante que precisa de respostas acadêmicas e para o qual vc gostaria de contribuir. Depois, procure as universidades que vc considera que seriam mais adequadas para a sua pesquisa. Eu diria que para o mestrado vc não precisa se preocupar tanto com a universidade, pois as melhores sempre tem alguém que pode ajudar com qualquer pesquisa. Se for para doutorado, aí eu recomendo contatar professores que estão pesquisando na sua área de interesse.

      Abaixo segue uma guia básico que pode ajudá-la a estruturar sua proposta. Mas considere também as perguntas que a Laspau faz.

      http://biology.brown.edu/bug/suggested-research-proposal

  10. nossa meu sonho é estudar na yale ! tenho apenas 14 anos…estudo em uma escola publica no interior de são paulo (morro agudo ) e infelizmente acho q minha realidade esta muito longe de tudo isso !! não tenho quase nada a oferecer :[ !! q pena acho q vou ser obrigada a desestir do meu sonho :[

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: